fbpx
Tecnologia Escolar

Tecnologia educacional: aliada ou inimiga do professor?

Por 18 de dezembro de 2019 Sem comentários
Tecnologia Educacional

Será possível conceber a educação hoje sem a presença da tecnologia educacional? Afinal, é fato que as crianças já mantêm contato com esta desde o nascimento e são, portanto, o que chamamos de nativos digitais.

Mas como o professor deve lidar com os novos recursos tecnológicos em sala de aula? Será que estes são aliados ou inimigos do educador?

Por que usar a tecnologia na educação?

O primeiro ponto que deve ser salientado é que todo processo de ensino-aprendizagem precisa apresentar significados para os alunos, pois só assim ele será, de fato, efetivo. Além disso, a construção de sentido só é obtida quando se leva em conta o contexto do educando.

Isto significa dizer que atualmente, como a tecnologia é parte relevante do contexto de nossos alunos, é primordial que ela esteja presente em todo e qualquer ambiente educacional.

Assim, conseguimos nos aproximar da realidade das crianças e lhes apresentar maneiras distintas e eficientes de aproveitar o que os novos recursos têm de melhor para oferecer. Ou seja, o desenvolvimento dos alunos ocorre adequadamente em relação ao que o mundo deles exige.

Porém, sabemos que dentro de uma sala de aula, muitas vezes um celular, tablet ou mesmo notebook, constituem-se como elementos dispersores e que, por isso, comprometem a qualidade do ensino.

Mas então, como o professor pode garantir que esses novos elementos sejam seus aliados e não seus inimigos?

A educação escolar e, ainda mais a educação infantil, tem um importante papel de disciplinar as crianças e educá-las para que se adequem à sociedade que integram. Portanto, as práticas educacionais buscam tanto promover o desenvolvimento integral dos alunos, bem como orientá-los sobre o que deve e não deve ser feito.

Ora, é partindo deste mesmo princípio que a tecnologia precisa ser incorporada ao ambiente da sala de aula. A seguir, apresentamos algumas questões importantes e necessárias para que os novos recursos não comprometam o processo ensino-aprendizagem:

  • regras e limites precisam ser bem definidos e apresentados de forma clara;
  • os professores devem conhecer os recursos que utilizam em sala;
  • a tecnologia é um complemento e não pode ser aplicada isoladamente;
  • os educadores precisam ter interesse pela tecnologia e se disporem a aprimorarem seus conhecimentos sobre ela, sempre.

Ainda, mais uma ressalva: cabe à escola estabelecer uma parceria com a família para orientar as crianças sobre o porquê, como e quando usar os recursos tecnológicos, demonstrando que a vida delas não pode se restringir somente a utilização dos mesmos. Elas também precisam fazer outras atividades fora de ambientes virtuais e, principalmente, sociabilizar constantemente.

E mais um detalhe, como qualquer aula e prática na educação infantil, aquelas nas quais a tecnologia é utilizada devem ser previamente planejadas e organizadas, para que funcionem e acarretem os resultados esperados.

Exemplos de usos na educação infantil:

Existem diversas formas de aproveitar a tecnologia na sala de aula. Isto porque por meio dela conseguimos acesso a imagens, vídeos, textos, músicas, jogos, entre outros materiais riquíssimos e que, inclusive, apresentam um caráter de ludicidade bastante propício para o nível da educação infantil.

É possível, por exemplo, incentivar os alunos a criarem seus próprios conteúdos – estimulando assim a criatividade e a capacidade de inovação, qualidades cada vez mais necessárias no mundo contemporâneo.

Além disso, partindo do princípio de que a tecnologia deve ser utilizada em conjunto com outras práticas educacionais, pode-se fazer a leitura de textos online, sobre determinado tema e, na sequência, iniciar um debate e, até mesmo, finalizar a atividade por meio de uma apresentação sobre o assunto para outras turmas e familiares.

Ainda, algo muito rico com o uso de recursos tecnológicos é que a criança pode utilizá-los também em casa, tanto para rever algum aprendizado, como para conversar com os pais sobre o que aprendeu, ou buscar informações e utilizá-las posteriormente no ambiente da sala de aula, compartilhando o conhecimento com seus colegas.

Enfim, há uma enormidade de atividades que podem ser realizadas, o essencial é usar a criatividade, incentivar as crianças a darem ideias e continuar atualizando-se sobre os mais recentes usos de tais recursos.

Benefícios do uso da tecnologia em sala de aula

Para finalizar, elencamos apenas os principais benefícios que os alunos obtêm quando a tecnologia é uma aliada do professor, servindo como uma fonte de novos estímulos e possibilidades que garantem a autonomia e vivências variadas às crianças.

  • o aluno torna-se protagonista do processo de construção do conhecimento;
  • a tecnologia promove aulas mais dinâmicas e divertidas;
  • a diversidade de recursos é atraente para os alunos;
  • o contexto real das crianças de hoje pode ser trabalhado em sala;
  • os educandos conseguem atuar em conjunto e desenvolver senso de equipe;
  • há um estímulo à curiosidade e à busca por novas informações;
  • habilidades cognitivas como atenção e concentração são ampliadas.

A partir disso, portanto, está bastante claro que precisamos ampliar nossos conhecimentos sobre a tecnologia e utilizá-la como uma aliada em nossas salas de aula, não é mesmo?