fbpx
Educação

Entenda a situação atual da educação infantil brasileira

Por 16 de janeiro de 2020 fevereiro 28th, 2020 Sem comentários

O Brasil ainda é um dos países mais desiguais do mundo e em relação à educação o cenário não é diferente. Portanto, é essencial conhecer a situação atual desta esfera, bem como saber quais caminhos trilhar para melhorar a qualidade do ensino no país e garantir formação de qualidade para a toda a população.

A seguir, abordamos o contexto específico da educação infantil, apresentando dados estatísticos e sugestões do que precisa ser mudado.

A educação infantil no Brasil

A educação infantil compreende as primeiras etapas da formação básica das crianças. Atualmente, a partir da nova BNCC, a qual deverá ser colocada em prática por todas as escolas do país a partir de 2020, esse nível educacional passa a ser dividido em três estágios, de acordo com a faixa etária dos educandos:

  • crianças de 0 a 1 ano e 6 meses;
  • crianças de 1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses;
  • crianças de 4 anos a 5 anos e 11 meses.

A mudança para esses três estágios é uma forma de trabalhar mais favoravelmente com as novas questões que integram a educação infantil.

Dentre as quais destacamos os objetivos e os direitos de aprendizagem, bem como os campos de experiência, sempre relacionando com a etapa específica do desenvolvimento do educando.

Porém, para entendermos a situação atual da educação infantil brasileira devemos lembrar que ela estava estrutura em duas etapas apenas, a creche e a pré-escola, e abrangia as faixas etárias dos 0 aos 5 anos apenas. Na primeira fase estavam crianças de 0 a 3 anos, e na segunda, dos 4 aos 5.

Cenário de acordo com dados estatísticos

Conhecer o cenário atual dessa etapa educacional no país é possível, principalmente, por meio de alguns dados estatísticos como os que foram coletados pelo IBGE no último censo em 2017 e em seguida utilizados por outras instituições visando fornecer informações sobre temas mais específicos.

Segundo as pesquisas, o Brasil possuía no ano em questão cerca de 12 milhões de analfabetos; mais ou menos 2 milhões de crianças e adolescentes fora das escolas; e 6 milhões de crianças entre 0 e 3 anos fora das creches.

Vale salientar que no mesmo ano a população total do país era de 207,7 milhões de habitantes, dentre os quais 27 mil eram crianças entre 0 e 9 anos, ou seja, 13% da população.

Além disso, mesmo as crianças que frequentavam a escola não estavam sendo alfabetizadas adequadamente, pois cerca de 45% só concluía esta importante parte do processo ensino-aprendizagem após a idade ideal.

Portanto, diante do exposto fica claro como as desigualdades brasileiras integram também o contexto educacional.

Por isso, destacamos que a situação da educação infantil precisa de algumas mudanças e para isto, as políticas públicas, de maneira geral, devem priorizar a educação básica e construir projetos passíveis de serem efetivados.

A relevância da educação infantil na formação dos cidadãos

Como já dissemos anteriormente, a educação infantil é a primeira etapa da educação básica e é o momento inicial em que os educandos começam a construir suas identidades a partir das experiências diversas, dos novos relacionamentos e dos aprendizados relativos tanto ao autoconhecimento como à descoberta do mundo que os cerca.

Inúmeras conquistam devem acontecer nessa fase da vida das crianças, dentre elas citamos:

  • desenvolvimento da autoconfiança;
  • aumento da autoestima;
  • ampliação de vínculos afetivos para além do ambiente familiar;
  • desenvolvimento da empatia e respeito pelo próximo;
  • compreensão de regras e valores sociais;
  • ganho de autonomia;
  • construção do valor de responsabilidade social.

Enfim, uma educação infantil de qualidade, que garanta as conquistas indicadas acima, é um dos fatores responsáveis pela constituição de cidadãos ativos, críticos, engajados e que, no futuro, poderão agir em prol da sociedade e do país promovendo mudanças favoráveis a toda a população.

BNCC para educação infantilO que precisa ser feito para garantir educação de qualidade na educação infantil?

Finalmente, visando alterar o atual cenário da educação infantil brasileira, algumas ações são fundamentais.

A primeira delas já foi explicitada previamente: a educação básica, e essa etapa em especial, precisa ser pauta dos debates e projetos políticos.

Nestas discussões e ações deve-se buscar alternativas para:

  • qualificar e capacitar adequadamente os educadores;
  • valorizar os professores e demais profissionais da área;
  • oferecer materiais e recursos pedagógicos eficientes;
  • manter as instituições de ensino com infraestrutura apropriada.

Além disso, os educadores, tanto em instituições públicas como privadas, precisam pensar a educação das crianças de 0 a 6 anos de maneira distinta da tradicionalista. As atividades e práticas devem estimular:

  • o pensamento crítico e contextualizado;
  • a expressão e o compartilhamento de ideias;
  • o trabalho em colaboração;
  • a autonomia;
  • a responsabilidade social

Uma vez que as crianças, desde muito pequenas, desenvolvam tais aptidões, compreenderão que mudar a sociedade é papel de cada um, cada qual como parte integrante do todo social.

Logo, o primeiro passo para um país mais justo e equalitário, com menos desigualdades, será dado.