fbpx
Educação

Competências BNCC – Pensamento científico, crítico e criativo na prática

Por 6 de setembro de 2019 Sem comentários
Competência BNCC - Pensamento científico, crítico e criativo

A Ciência evoluiu na História da Humanidade pois conseguiu estabelecer uma metodologia de pensamento e desenvolvimento, na qual um problema é identificado, hipóteses são lançadas, algo é testado ou proposto e o modelo pode ser replicado.

Como a maneira de fazer ciência pode ajudar os alunos?

Isso define o pensamento científico e o método pelo qual se faz pesquisa no mundo, buscando soluções aos problemas existentes.

De acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o pensamento científico, crítico e criativo compõe uma das 10 competências que devem ser estimuladas no Ensino.

A BNCC define essa competência no sentido de estimular a curiosidade e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo investigação, análise crítica, imaginação e a criatividade.

Como essa competência pode ser trabalhada em sala de aula?

Em vez de simplesmente serem passados conteúdos de Ciências da Natureza, uma das formas de demonstrar claramente o pensamento científico é demonstrando experiências de Física e Química em sala de aula, bem como propondo aos alunos a realização de projetos, para obtenção de soluções criativas e inovadoras ou protótipos, para diferentes problemas encontrados.

Os alunos poderão, dessa forma, colocar os conteúdos em prática e propor soluções, bem como contornar as dificuldades encontradas quando se sai da teoria e tenta-se expor, na prática, a solução para um problema.

O pensamento científico, crítico e criativo possibilita aos alunos buscarem soluções inovadoras para problemas de suas realidades, mas usando sempre o conhecimento e a análise crítica na busca dessas soluções.

Além disso, uma vez que os alunos participam ativamente da construção de projetos e soluções, o empreendedorismo é incentivado, bem como a visualização da busca de soluções para os problemas da sociedade.

Por meio de um problema inicial, é necessária uma pesquisa, feita de forma aprofundada e guiada, depois a formulação de hipóteses e o estabelecimento de como a ação será feita e, por fim, como a ideia sairá do papel e ganhará vida com o projeto.

Inúmeras competições entre escolas, utilizando protótipos, estimulam cada vez mais essa competência.

Conclusão

A utilização do pensamento científico, crítico e criativo permanecerá a vida dos alunos durante toda a sua vida profissional.

Assim, o estímulo a essa competência na escola terá profundo impacto na vida futura de seus alunos.

Gostou deste artigo? Confira este sobre a empatia e a cooperação. Também poderá gostar deste outro em que abordamos a competência do conhecimento.

Obrigado e boa leitura nos próximos artigos!

×