fbpx
Pais e Escola

Qual o impacto da participação dos pais na vida escolar?

Por 14 de janeiro de 2020 Sem comentários

Iniciar a vida escolar é uma importante etapa no desenvolvimento das crianças e é a partir deste momento decisivo que elas ampliam suas percepções sobre si mesmas e sobre o mundo do qual fazem parte.

E para que tal processo seja ainda mais eficaz, nada melhor do que pais participativos e integrados à educação de seus filhos.

Confira na sequência por que pais presentes na vida escolar têm um maior impacto no desenvolvimento de seus filhos, bem como maneiras para fazer parte do processo ensino-aprendizagem das crianças no ambiente escolar.

A importância de pais participativos

A partir de seus primeiros dias na escola, a criança começa a descobrir uma diversidade de novidades: espaços distintos, pessoas diferentes, outras crianças como elas, além de vivenciar experiências até então inimagináveis.

E é nesse momento que uma importante parte do desenvolvimento infantil ocorre e prepara o educando para o resto do longo processo de sua formação básica, que leva à construção de sua identidade enquanto cidadão integrado à sociedade.

Porém, há um fator determinante e que garante uma melhor aquisição de habilidades de várias esferas como motora, social, emocional e cognitiva: a participação dos pais no processo ensino-aprendizagem de seus filhos.

Isto é fundamental, porque promove maior interesse das crianças pelas atividades desempenhadas na escola, uma vez que elas se sentem valorizadas e apreciadas por seus pais.

Ainda, tal parceria incentiva-as a compartilhar seus conhecimentos, obtidos com professores e outros colegas, com seus familiares. Logo, a educação torna-se um processo constante e atrativo na vida delas. A criança passa a aprender tanto na escola como em casa.

Vantagens garantidas pelos pais participativos

Abaixo mostramos algumas vantagens que os alunos obtêm quando seus pais participam efetivamente da rotina escolar:

  • incentivo à experimentação e novas descobertas;
  • estímulo da curiosidade;
  • ganho de autoconfiança;
  • aumento da autoestima;
  • favorecimento da expressão de emoções e pensamentos;
  • ampliação da autonomia;
  • desenvolvimento da responsabilidade.

Portanto, atitudes simples podem fazer grande diferença no crescimento e amadurecimento das crianças. Mas como é possível participar das atividades escolares? Confira a seguir algumas delas.

Como estar presente na vida escolar das crianças?

Muitas vezes pensamos que participar do processo educacional das crianças é observar se as tarefas estão sendo realizadas e caso não estejam, exigir que sejam feitas. Ou talvez ir até um evento na escola e pronto.

Porém, a participação efetiva é muito mais do que isto. Ela é decorrente de um verdadeiro interesse pelo processo de aprendizagem das crianças.

Acontece quando os pais compartilham conhecimentos e experiências com seus filhos e os estimulam a querer descobrir sempre mais.

Ela ocorre essencialmente nas conversas sobre o que está acontecendo na escola, nas atividades de lazer que proporcionam elos entre os aprendizados escolares e o dia a dia fora da sala de aula; ela acontece por meio dos modelos que as crianças observam em casa, como pais que também buscam sempre mais conhecimento e desenvolvimento pessoal.

Além disso, é primordial que essa participação não ocorra por meio de cobranças. Afinal, um dos objetivos principais da educação infantil é promover a autonomia e a responsabilidade dos alunos.

Cobranças apenas tornam a aprendizagem cansativa e criam uma relação negativa da criança com a escola.

Dessa forma, os pais devem, portanto, dialogar constantemente com seus filhos demonstrando a importância de fazer tarefas, estudar, realizar pesquisas, etc.

Mas são as crianças que vão desenvolver, a partir de incentivo e estímulo, o comprometimento com suas vidas escolares.

Exemplos de uma participação efetiva

Em resumo, uma participação efetiva dos pais é garantida a partir de ações como:

  • diálogos sobre a escola e suas atividades;
  • convívio com o ambiente escolar, educadores e outros alunos;
  • apoio perante possíveis dificuldades que possam acontecer;
  • incentivo a experimentações e descobertas em outros locais, além da escola;
  • participação direta em eventos, festas, reuniões, confraternizações;
  • atenção às tarefas e atividades que devem ser feitas fora da sala de aula.

Ressaltamos, finalmente, que cabe à escola também estabelecer uma relação colaborativa com os pais.

O que a escola pode fazer para aumentar a participação dos pais?

Embora a educação infantil priorize o desenvolvimento da autonomia dos educandos, é certo que como ainda são crianças e dependem dos adultos para realizarem uma série de atividades, é papel da escola construir uma relação de parceria com os responsáveis por elas. Demonstrando, inclusive, como estes impactam no crescimento de seus filhos.

Dessa forma, a partir do incentivo dos profissionais competentes e que entendem do processo de ensino-aprendizagem, fica mais fácil para os pais integrarem-se ao que ocorre no ambiente escolar.

E são ações bastante simples que garantem o estabelecimento dessa união escola-família, que modificam positivamente o desenvolvimento da criança. Algumas delas são:

  • realização de atividades abertas para a comunidade geral;
  • promoção de eventos de integração como festas, campeonatos, exposições;
  • formação de grupos de discussão sobre temas educacionais;
  • oferta de cursos de capacitação sobre assuntos da educação;
  • realização frequente de conselhos e reuniões sobre os alunos;
  • construção de um ambiente de diálogo e colaboração.

Assim, a escola estimula os pais a participarem da vida escolar de seus filhos. Consequentemente, o impacto dessa participação incentiva as crianças a aprenderem cada vez mais e a se desenvolverem plena e competentemente para agir no mundo que integram.