fbpx
Gestão

Gestão de crise para escolas: como evitar, lidar e resolver problemas

Por 9 de maio de 2020 junho 24th, 2020 Sem comentários
gestão de crise para escolas

Nem sempre as escolas preocupam-se com a área de gestão de crise. Consequentemente, algumas enfrentam sérios problemas e às vezes precisam até mesmo sair do mercado educacional.

Confira a seguir mais sobre esse assunto e saiba como proteger sua escola e agir diante de uma crise inesperada.

O que é gestão de crise para escolas?

Para saber como lidar e resolver uma crise na sua escola é preciso, primeiramente, compreender qual é o conceito de gestão de crise.

Esta é um conjunto de ações administrativas planejadas que visam tanto minimizar prejuízos, decorrentes de problemas repentinos que afetam toda a organização, como tentar evitar crises através de medidas preventivas.

Vale salientar que os problemas que surgem e ocasionam uma crise podem ser de origem interna ou externa.

A seguir citamos alguns exemplos de situações internas problemáticas para uma escola:

  • inadimplência dos estudantes;
  • redução no número de alunos;
  • dificuldade para fazer a captação de novos alunos;
  • problemas relacionados à insatisfação do corpo docente;
  • situações que envolvem bullying e violência entre os estudantes;
  • baixa qualidade de ensino.

Já em relação aos fatores externos, destacamos que eles podem ser de ordem econômica, política, cultural, social, entre outras.

Além disso, fazem parte do planejamento das medidas a serem realizadas, antes e/ou durante à crise, a compreensão do cenário e a previsão do que pode acontecer com o mesmo.

Enfim, existe uma variedade de situações de crise que afetam uma instituição de ensino e para cada uma delas é essencial que haja organização e planejamento prévio a partir das ações de uma gestão de qualidade.

Como gerenciar uma escola em momentos de crise?

Em um momento de crise é primordial que existam profissionais capacitados e com um perfil adequado para lidar com tal momento, mantendo a calma e transferindo informações positivas dentro do ambiente institucional.

O indicado é selecionar um gestor capaz de interagir com a comunidade escolar de forma à responder possíveis dúvidas, assim como apresentar o posicionamento da instituição perante a crise.

Dentre as ações que precisam ser realizadas nesses momentos destacamos:

  • criar um comitê específico para lidar com a crise;
  • discutir as ações a serem realizadas de forma organizada, colaborativa e flexível;
  • informar-se diariamente sobre o que está acontecendo interna e externamente;
  • continuar reforçando os pontos positivos da escola;
  • manter os processos administrativos ágeis e com qualidade;
  • garantir uma comunicação frequente e transparente com a comunidade escolar.

Em relação ao último ponto, inclusive, é favorável fazer o uso de recursos tecnológicos que facilitam e conferem rapidez à comunicação entre professores, gestores, pais e responsáveis pelos alunos.

 Estratégias para evitar ou lidar com uma crise no ambiente escolar

Baseado nas informações anteriores, podemos, portanto, refletir sobre as melhores estratégias para reduzir prejuízos decorrentes de crises, internas ou externas, em sua escola.

O primeiro fator é, sem dúvida, preparar-se para possíveis problemas que possam ocorrer, a partir de organização e planejamento prévio.

Dentro desse planejamento os pontos que devem ser garantidos são:

  • organização financeira;
  • investimento na qualidade e imagem da escola;
  • fidelização de alunos.

Sobre a organização financeira é essencial que sempre haja um controle do fluxo de caixa e garanta-se maior entrada do que saída de recursos. Assim, em um momento de crise, a escola consegue manter suas atividades e sua qualidade mesmo que receba menos receita.

Já o segundo fator, que é investir na instituição, ajuda a mantê-la como uma referência no mercado e, consequentemente, minimizar possíveis saídas de alunos durante situações problemáticas.

Ressaltamos que os investimentos precisam abranger quatro esferas: infraestrutura, recursos e materiais pedagógicos, marketing e capacitação profissional.

E, finalmente, o último ponto que é a fidelização dos alunos está diretamente relacionado à qualidade de ensino da escola.

Quanto maior a qualidade, maior a satisfação dos estudantes e de seus responsáveis. Logo, menor é a evasão.

Mas, além disso, a flexibilidade para o diálogo e solução de problemas, bem como a comunicação aberta e transparente com toda a comunidade também contribuem para a permanência dos alunos ainda que diante de uma crise.

Conclusão

Para concluir, reforçamos mais uma vez a importância de existir um planejamento pré-crise, capaz de estabelecer medidas preventivas e efetivas de segurança para a escola.

Nesse sentido, é primordial possuir uma equipe e uma gestão escolar preparados e competentes para minimizar prejuízos ou até mesmo evitar adversidades que podem surgir inesperadamente.

Quer saber mais sobre gestão escolar? Confira outros posts sobre o assunto! 

 

Deixe uma resposta