fbpx
Educação

Desenho Coletivo e o Desenvolvimento Integral

By 9 de março de 2018 maio 31st, 2019 No Comments
Desenho Coletivo e o Desenvolvimento Integral

A prática do desenho coletivo é uma ótima maneira de desenvolver integralmente as crianças, pois ela consegue atuar nos diferentes campos de experiência e, além disso, é prazerosa e divertida para os alunos.

Confira a seguir um pouco mais sobre o desenho coletivo e quais as vantagens em realizá-lo na sua sala de aula. Boa leitura!

 

A BNCC e os campos de experiência

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) serve como uma orientação para os gestores e professores construírem os currículos e planejarem as atividades a serem desenvolvidas ao longo do ano letivo.

Para a educação infantil, especificamente, a base define os direitos de aprendizagem e os campos de experiência como requisitos para preparar o aluno para o ensino fundamental no qual eles irão trabalhar questões das diferentes áreas do conhecimento.

No caso dos campos de experiência, eles são uma forma de promover o desenvolvimento integral das crianças.

Mas para isto, segundo a base, é preciso realizar práticas instigantes aos alunos e que, ao mesmo tempo, supram suas necessidades educacionais.

Nesse contexto, a prática do desenho coletivo torna-se extremamente relevante e adequada, pois a maioria das crianças adora desenhar desde cedo, mesmo quando seus desenhos são apenas rabiscos.

 

O desenho coletivo e a inter-relação entre os campos de experiência

Conforme definido na BNCC existem cinco campos de experiência:

  • O eu, o outro e o nós;
  • Corpo, gesto e movimentos;
  • Traços, sons, cores e formas;
  • Escuta, fala, pensamento e imaginação;
  • Espaço, tempo, quantidades, relações e transformações.

Em princípio, a atividade do desenho coletivo parece mais relacionada ao campo de experiência ‘traços, sons, cores e formas’, pois há um predomínio do uso da linguagem visual durante a sua realização.

Porém, quando ficamos atentos a tudo que ocorre percebemos que ela integra os cinco campos e, por isso, é tão enriquecedora para o educando.

Por exemplo, quando a criança precisa interagir com o amigo para entender o que ele está desenhando dois campos são estimulados: ‘o eu, o outro e o nós’ e ‘escuta, fala, pensamento e imaginação’.

Ao se movimentar pela sala, ou mudar sua posição corporal para desenhar a partir de uma outra perspectiva, a criança estabelece vínculos entre os campos ‘corpo, gesto e movimentos’ e ‘espaço, tempo, quantidades, relações e transformações’.

O professor atento ao processo vai identificar muitas outras conexões entre e ter a certeza de que o desenvolvimento de seu aluno ocorre integradamente.

 

Benefícios do desenho coletivo

Uma boa atividade de desenho coletivo precisa ser libertadora, propiciar a livre de expressão do educando, sem a imposição de normas e padrões.

O professor não deve direcionar as ações dos alunos, mas sim mediar o processo de descobertas.

Assim, a partir dessa perspectiva diversos são os benefícios obtidos. Através de seus desenhos, a criança amplia e adquire uma série de capacidades. Dentre elas:

  • criatividade;
  • coordenação motora;
  • percepção;
  • imaginação;
  • observação;
  • concentração.

Além disso, ao permitir a expressão de experiências e da imaginação o desenho torna-se uma estratégia para o autoconhecimento.

Cabe ao professor, nesse momento, compreender o seu aluno, identificar suas características, sua forma de agir e a maneira como percebe o mundo.

Ainda, por ser uma atividade em grupo, mais alguns ganhos ocorrem:

  • sensibilização para o ato de agir coletivamente;
  • trocas de ideias;
  • compartilhamento de objetos;
  • atitudes de participação e cooperação;
  • outras formas de pensar e de se expressar;
  • desenvolvimento do respeito aos colegas.

Enfim, diante de tudo que mostramos, fica claro que montar seu planejamento pedagógico considerando a prática do desenho coletivo é, sem dúvida, uma ótima estratégia para promover o desenvolvimento dos alunos, não acha?