fbpx

Costumam falar que crianças precisam brincar para desenvolver da melhor forma todos os seus sentidos e sei que posso afirmar por grande parte da população que levamos para toda a vida o prazer do brincar.

É através dessas brincadeiras que a imaginação fica limitada apenas ao desejo de sonhar em ser aquilo que mais admira… Brincando de faz-de-conta, fingindo ser uma princesa dos contos de fadas da Disney ou um piloto de fórmula 1, enquanto faz ruídos imitando o som de um carro de corrida.

Aposto que todo mundo lembra de algum momento mágico que vivenciou na infância em meio a brincadeiras com os amigos, seja em casa, na rua ou na escola. Sempre tem aquele brinquedo favorito eternizado em fotografias, muitas vezes guardados até hoje.

Indiferente de qual brincadeira for, temos que admitir, a capacidade da mente de uma criança em criar novos mundos e se divertir com coisas simples é algo de dar inveja a qualquer adulto.

Com o passar dos anos o tempo que se aplica para elas brincarem diminuiu drasticamente. A correria do dia a dia e a vontade de que eles aprendam cada vez mais em seu tempo livre toma conta dos pais. Isso faz com que as tarefas escolares usem todo o tempo e energia desses pequenos.

É muito importante destacar que essas brincadeiras fazem falta no cotidiano, pois estimulam áreas essenciais para o desenvolvimento social, emocional e cognitivo da criança, ajudando-a a se tornar um adulto saudável, responsável e seguro.

Brincar ajuda a se preparar para o mundo

As brincadeiras e jogos são meios de expressar sentimentos. É dessa forma que a criança tem a oportunidade de aprender sobre a realidade e a cultura na qual está inserida.

Brincar de faz-de-conta simulando situações do cotidiano dos adultos ajuda a entender a realidade de forma simples e tranquila. Permite conhecer ao mundo e a si mesma através da simulação de conflitos, aprendendo também a encarar seus medos e angústias.

Leia mais: Crianças pequenas e trabalho em casa: como conciliar obrigações?

Os jogos também são um meio importante de aprendizado e fazem toda a diferença no desenvolvimento de uma criança. Eles ensinam a lidar com frustrações quando perdem, sendo essencial para o equilíbrio emocional e desenvolvimento da personalidade.

As linguagens que as brincadeiras trazem desenvolvem o raciocínio, a atenção, a imaginação e a criatividade, pois tiram da zona de conforto e estimulando a pensar e solucionar suas questões de forma criativa.

Brincar em casa e na escola é essencial para fazer amizades

Além dos itens citados acima, deixar que a criança brinque com seus amigos, permite aumentar a capacidade de socializar. Ensina a cooperar, partilhar, comunicar e se relacionar de forma saudável, desenvolvendo respeito por si e pelo próximo.

Tudo isso vai ajudar a tornar essa criança um adulto que conhece a si mesmo e o que é capaz de fazer, já que teve oportunidade de explorar seu potencial criativo.

Por isso é tão importante permitir que esses futuros adultos tenham um tempo em casa destinado a fazer nada, pois é quando as brincadeiras mais legais surgem.

Leia mais: BNCC – Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento na educação

Uma ótima forma de aprender na escola é estimular os alunos utilizando brincadeiras que utilizem meios de exploração de diferentes linguagens.

Criar atividades musicais, danças, mímicas, contar histórias e deixa-los inventar suas próprias brincadeiras são alguns exemplos de como colocar essas atividades no dia a dia escolar.

Citando o famoso psicólogo e dramaturgo Lev Vigotski:

“A brincadeira cria uma zona de desenvolvimento iminente na criança. Na brincadeira, a criança está sempre acima da média da sua idade, acima de seu comportamento cotidiano. É como se a criança estivesse numa altura equivalente a uma cabeça acima da sua própria altura.

A brincadeira em forma condensada contém em si, como na mágica de uma lente de aumento, todas as tendências do desenvolvimento. Ela parece tentar dar um salto acima do seu comportamento comum”.